Select Page

SPFW N44 encerra o mês de Agosto com o mote – Amo Moda, Amo Brasil

SPFW N44 encerra o mês de Agosto com o mote – Amo Moda, Amo Brasil

O SPFW n44 aconteceu nos dias 27 a 31 de agosto em São Paulo. Confira três marcas que se destacaram nesse evento.

 

A capital paulistana e a Bienal foram os cenários de 35 desfiles apresentados no sistema “See you now by now”. Nessa temporada o destaque ficou por conta das transformações, mudanças de valores e adequações a nossa realidade. Um resgate de identidade que começa pela escolha de modelos de todas as raças, gêneros, estilos, onde o preconceito não tem espaço.

A moda vem buscando mais soluções sustentáveis, processos compartilhados que se ampliam na economia criativa e colaborativa. A inovação também nasce de pequenos empreendedores, start-ups e artesões que valorizam a mão de obra nacional. O Hand made ganha mais destaque no cenário brasileiro, mas a tecnologia continua crescendo nesse segmento.

Apresentamos aqui o verão 2018 de algumas marcas que buscaram soluções e alternativas mais sustentáveis!

Legenda da foto
Look À La Garçonne Foto: Zé Takahashi

À La Garçonne

 

Juliana Jabour

Juliana Jabour apresentou tema náutico, mais um resgate da USA no inicio do século, com retorno ao streetwear e da cultura underground que hoje se fundem com o mainstream.

A estilista desenvolveu peças com poliamida e fio sustentável (Amni Soul Eco). Fio biodegradável em poliamida que se desintegra 50% em um pouco mais de um ano nos aterros sanitários. Os benefícios desse fio vão alem das propriedades ecológicas e sustentáveis. Absorção de umidade, respirabilidade, fácil de lavar, secagem rápida, toque macio com extremo conforto e o melhor, também pode ser reciclado.

Maria Kazakova

Maria Kazakova é uma artista Russa que veio para o Brasil pela iniciativa do Projeto Estufa e Centro-br com o apoio da Puma, SPFW, Sebrae e Texprima. Maria Kazakova é uma artista visual radicada em Nova York, que trabalha com materiais encontrados e roupas pré-fabricadas para ilustrar suas idéias sobre o consumismo, a desigualdade racial e cultural, os ofícios e as restrições políticas e econômicas que o cercam.

Ela vê a moda como uma força poderosa para levantar questões sobre a sustentabilidade do sistema de moda real e busca conscientizar os consumidores sobre modos de produção, distribuição e consumo alternativos, mais viáveis. Responsável pela marca Jahnkoy, suas coleções são absolutamente criativas e originais, com uma pegada étnica inspirada na África, com trabalhos de mão de obra artesanal mesclados ao sportswear, associados ao lifestyle da Rússia.

Sua coleção foi exibida através de uma performance em meio a Bienal com modelos negros. A partir de peças da Puma ela desenvolveu impactantes estampas e bordados como “post Freedom”, “don´t bring your shit to Africa”, uma mensagem para as grandes empresas que despejam seus restos no continente africano.

O resultado da obra é um serie de looks poderosos, que traz mais que mensagens, são experiências para aproximar as pessoas, de certa forma para celebrar a criação. Para Kazakova é isso que ela quer passar para a comunidade. A mensagem é emponderar as pessoas para entender que nós somos mensageiros do nosso tempo.

Sobre o Autor

Claudia Rosso

Claudia Rosso Fashion Designer, consultora de imagem e estilo, figurinista, editora de moda, stylist, personal stylist, shopper e organizer, com formação no Senac SP, Istituto Artistico Dell Abigliamento Marangoni Milano, CMB Image Consultants Mi,Arexa S.R.L. Mi ,Escola Panamericana de Arte SP. Mais de trinta anos no mercado nacional e internacional, morou em Milão, Corsega atuando na área de moda, designer, cool Hunter, tendências e figurino. Criadora do projeto descarte Zero onde cria peças com materiais descartados com a etiqueta Studio Rosso.